Saturday, February 18, 2006
tristeza

vem a chuva e lava os telhados, a rua, a cidade... só não lava minha alma perturbada e silenciosamente trovejante, rasgando-se por dentro, de tanta dor acumulada...

a chuva escorre na sarjeta e eu me sinto lama..

 

 

 

 


Posted at 06:25 am by Pétala
Make a comment

Thursday, February 10, 2005
Partida


Ainda era dia quando nos despedimos. Um sinal de adeus com a mão direita foi a certeza de que nunca mais nos encontraríamos. Parti, com bagagem farta, dentro e fora de mim. Mas dentre tudo, o que mais pesa é essa saudade contida.

Posted at 01:18 am by Pétala
Make a comment

Friday, December 31, 2004
Feliz 2005!!

Que o ano de 2005 seja feliz e abençoado, para todos nós!

É fácil querer que tudo seja melhor no ano que vem, que sonhos se realizem, que conquistas encham nossos corações de alegria... Mas nem tudo que se quer torna-se realidade, então, meu desejo é de um ano produtivo, com saúde, amor, alegrias simples e conquistas gradativas...

Quero estar com minha família, meus amigos, meu amor... Quero agradecer por cada dia ao lado deles e pedir a Deus que em 2005, nesta mesma época, eu possa mais uma vez agradecer por estar ao lado dessas pessoas que eu muito amo!!

FELIZ ANO NOVO!!!

Posted at 05:39 pm by Pétala
Make a comment

Tuesday, April 13, 2004
14/04

Amanhã é meu aniversário... espero fechar um ciclo de coisas desagradáveis e me renovar. Ainda dá tempo, ainda tenho muito tempo pra dizer que 2004 'foi' um ano bom...

Posted at 06:49 am by Pétala
Make a comment

Amor

Sinto tua falta. A distância entre nós me maltrata muito, Cris... te amo!!

Posted at 06:46 am by Pétala
Make a comment

Sunday, February 08, 2004
Poesia...

OS TEUS PÉS
(Pablo Neruda)

Quando não posso contemplar teu rosto,
contemplo os teus pés.

Teus pés de osso arqueado,
teus pequenos pés duros.

Eu sei que te sustentam
e que teu doce peso
sobre eles se ergue.

Tua cintura e teus seios,
a duplicada purpura
dos teus mamilos,
a caixa dos teus olhos
que há pouco levantaram voo,
a larga boca de fruta,
tua rubra cabeleira,
pequena torre minha.

Mas se amo os teus pés
é só porque andaram
sobre a terra e sobre
o vento e sobre a água
até me encontrarem.


Posted at 07:49 pm by Pétala
Make a comment

Wednesday, January 14, 2004
Sem direção...

Quando você constata que está sendo demais em determinado local, tem consciência de que é persona non grata, alguma coisa você deve fazer para mudar essa situação certo? Afinal, humilhação, definitivamente, não foi feita pra você! Mas, se ao contrário, você não sabe como reagir, não sabe o que fazer, perde o entusiasmo por tudo mais que deveria ser feito e que não tem nada a ver com esse assunto, mas mesmo assim acaba sendo atingido, tudo perde a direção, o rumo, o prumo, o sentido... Já estou me perdendo nestas linhas, desculpem, mas assim que me sinto, sem leme, sem saída.
Como um barco na tempestade, juro, assim que me sinto. Velas quebradas, tripulação abatida, vento forte varrendo tudo, água invadindo o porão. Sal. Muito sal. Sede!! De liberdade, de vitória, de viver!! Delírios...não, não mais no barco! Neste post!! Boa noite!

Posted at 01:16 am by Pétala
Make a comment

Sunday, January 11, 2004
Sem nada para fazer...

Ahhhh, monotonia, teu nome é domingo!!! Que saco!! Eu poderia ir à praia, mas não sou muito amiga do sol; acordei tarde de propósito, assim o dia passa mais rápido.
Sou notívaga, amo a noite, a lua, as estrelas. A claridade do dia me deixa impaciente, cansada, sinto mais calor... Como eu queria poder inverter, trocar o dia pela noite. Dia só quando eu estivesse em férias, aí sim eu pensaria numa praia, no fim da tarde quem sabe, para fugir do sol.
Não posso fazer essa troca. A sociedade me cobra, a minha família me cobra. Se eu ficar muito tempo recolhida neste quarto, eu posso demostrar, erroneamente, que estou com algum problema. Ninguém entende que prefiro a noite.

 
 

                                                  

Posted at 02:23 pm by Pétala
Make a comment

Saturday, January 10, 2004
Você...

Você não sai da minha cabeça. Todos os dias penso em você, no teu jeitinho engraçado de sorrir, de me olhar, sem graça e tímido. Penso na tua voz, na tua letra no papel, nas tuas mãos... Não sei mais o que fazer pra te esquecer. É impossível. Lembro de quando eu falei pras minhas amigas que eu nunca iria gostar de você...olha meu castigo, nunca mais te esqueci e sei que não te esquecerei jamais!! Leio e releio teus bilhetinhos...lembro de todos que eu te mandei...você está tão distante e eu te quero tanto que parece que às vezes está aqui do meu lado. Quantas vezes já sonhei com você, com o teu beijo quente... quantas vezes já fiquei arrepiada sentindo o toque das suas mãos nas minhas, mesmo em sonho, parecendo real... TE AMO! Um dia ainda vou te falar essa frase, pertinho, no teu ouvido!

Posted at 11:33 pm by Pétala
Make a comment

In dubio...

Eu queria escrever mais. Não é só um querer, talvez seja uma necessidade de me expor, de extravasar, não entendo direito o que está acontecendo. Só sei que estou mais fechada que uma ostra.
Uma vez li que as ostras só produzem pérolas quando se defendem de alguma coisa que as machuque. A pérola é uma cicatriz da ostra. Mais ou menos isso...
Quem sabe eu não tenha várias pérolas para produzir? As feridas são tantas...

Posted at 11:12 pm by Pétala
Make a comment

Next Page





<< December 2017 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01 02
03 04 05 06 07 08 09
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31



Contact Me

If you want to be updated on this weblog Enter your email here: